Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de março de 2009

Homenagem ao espantalho!

Prestem bastante atenção nessa letra que o nosso querido Raulzito escreveu, vejam se tem ou não a ver, minha teoria de que essa música é uma declaração de ódio ao Espantalho do Sítio de Piritiba, quem mais além dele, poderia ver a bicharada acabar com o sítio e ficar lá paradão como se nada estivesse acontecendo?



Plantei um sitio no sertão de Piritiba
Dois de pé de guataíba, cajú, manga e cajá ...
Peguei na enxada como pega um catingueiro
Fiz aceiro botei fogo, "Vá ver como é que tá"
Tem abacate, genipapo, bananeira
milho verde, macacheira, como diz no Ceará
cebola, coentro, andú, feijão de corda
vinte porco na engorda, inté gado no currá !
Com muita raça fiz tudo aqui sózinho
Nem um pé de passarinho veio a terra semeá
Agora veja, cumpadi a safadeza
Começou a marvadeza, todo bicho vem prá cá
"Num" planto capim-guiné
prá boi abaná rabo
Tô virado do Diabo, tô retado cum você
Tá vendo tudo e fica aí parado
com cara de viado que viu caxinguelê
Sussuarana só fez perversidade
Pardal foi prá cidade
Piruá minha saqué
Dona raposa só vive na mardade
Me faça a caridade, se vire dê no pé !
Saguim trepado no pé da goiabeira
Sariguê na macacheira, tem inté tamanduá
Minhas galinhas já não ficam mais paradas
e o galo de madrugada tem medo de cantar

Num planto capim-guiné ...
pra boi abaná rabo
Tô virado do Diabo, tô retado cum você
Tá vendo tudo e fica aí parado
com cara de veado que viu caxinguelê