Total de visualizações de página

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Intrigas

Há dez anos atrás, seria impossível o tipo de intriga virtual, será? Acho que antigamente se faziam as mesmas coisas, mas por meios diferentes, se hoje em dia, a pessoa abre um perfil falso em alguma rede social qualquer, há algumas décadas atrás se fazia por carta anônima. Mudaram-se as armas, mas os ferimentos ainda são os mesmos.
Aconteceu comigo, dias atrás alguma pessoa extremamente desocupada, resolveu que ia conseguir acabar com minha felicidade, com meu casamento, com minha vida, ou sei lá o que deve ter pensado. Bom, essa pessoa criou o perfil falso no Orkut, me adicionou dizendo 'seu marido está te traindo com a minha esposa', ah, até parece que um homem faz esse tipo de coisa! Isso é coisa de mulher!!! Eu não adicionei a pessoa, e a mesma insistiu em pedir pra adicionar, novamente dizendo 'você não quer saber a verdade, o seu marido está te traindo na (nome da empresa)'. Bom aí as coisas começaram a se esclarecer, provavelmente essa intriga mal sucedida, partiu de alguma pessoa da empresa que está a fim do meu marido. Foi mal sucedido o feito, pois essa pessoa não contava com a nossa união, que é sólida e à prova de 'intrigas virtuais'. Tenho uma suspeita 99% certa, uma garota de 17 anos que trabalha lá nessa empresa e que eu não vou muito com a cara, pois a considero uma pessoa inútil e desequilibrada, que não sabe se por em seu lugar. Não me admira uma moça de 17 anos se apaixonar pelo chefe novinho, cheiroso, de roupa social todos os dias. Eu adoro!
Enfim, a coitada perdeu o tempo dela, criando o perfil falso e tentando prejudicar a vida dos outros.
Aqui vai um alerta para todos os que já se sentiram prejudicados pela internet. Primeiro leve em conta seu relacionamento, não acredite em tudo o que ler por aí. Acredito que a confiança é um conjunto de atitudes praticados todos os dias, é como um cristal. Se não foi quebrada nenhuma vez, é a coisa mais linda e não há razão para desconfiança.
Segurança é a palavra de ordem! Você confia no seu taco ou não?